jusbrasil.com.br
23 de Outubro de 2019

Sociologia/Filosofia Marxista.

Material completo sobre o Marxismo.

Direto ao Direto, Operador de Direito
Publicado por Direto ao Direto
há 17 dias

KARL MARX

Obras de Marx:

  • O Capital, é o livro onde o Marx faz uma crítica a teoria econômica. O capítulo a mercadoria é muito importante. Mercadoria é tudo aquilo que tem valor de troca e de uso.

  • A ideologia alemã, fala sobre o ser sensível e o ser inteligível

  • O manifesto do partido comunista

  • O 18 Brumário

  • A questão judaica

Pressuposto Teórico:

A estrutura econômica determina as relações sociais.

Marx diz que a estrutura econômica determina as relações sociais, ou seja, o conjunto de conceitos que formam a estrutura econômica, a base material da sociedade que é formada por: terra, matéria prima, capital, instrumento, tecnologia e força de trabalho.

Conceitos fundamentais:

Relações de produção: São as relações (sociais) que os indivíduos estabelecem para produzir seus meios de vida.

-Cooperação: Uns ajudam os outros.

-Exploração: Uns exploram o trabalho de outros.

-Meios de produção: Capital, terra, matéria prima e maquinário/tecnologias.

-Forças produtivas: Meios de produção + força de trabalho.

-Sistema de Produção: Produção, Circulação e consumo de mercadoria.

-Mercadoria: Valor de uso e de troca.

Método: Materialismo histórico/ Dialético.

Para construção do Materialismo Histórico, Marx usou a Dialética da Filosofia, no entanto esta dialética está no plano das ideias, mas ele aplica no campo da produção. Para ter sociedade os seres-humanos precisam estar vivos. Para Marx, as necessidades básicas precisam ser supridas, para Marx o homem deveria caçar de manhã, comer a tarde e ler filosofia à noite.

  1. Dialética: Tese, Antítese, Síntese

  1. Na tese: Tudo se relaciona

  1. Na Antítese: Tudo tem em si sua própria negação

  1. Na Síntese: Tudo se transforma

Produção e reprodução:

1- Ato histórico: a produção

(a produção dos meios que permitam satisfazer as necessidades humanas)

2- Ato histórico: a reprodução

(os homens renovam sua própria vida e começam a criar outros homens, a procriar)

3- Ato histórico: a divisão do trabalho

(com o aumento populacional – segundo ato histórico – um só indivíduo é incapaz de suprir todas as necessidades que surgirá, então eles começam a intercambiar bens, gera a divisão do trabalho

4- Ato histórico: o intercâmbio

(é um produto social; o homem ao desenvolver seus meios de vida, sua produção material e ao estabelecer intercâmbios, expõe-se também ao desenvolvimento dos reflexos ideológicos e dos ecos desse processo da vida real, determinando sua consciência)

5- Ato histórico: a consciência

Relações estruturais

Infraestrutura: base econômica. Eles trabalham por cooperação.

Superestrutura: mundo das ideias políticas, jurídicas, religiosas, etc. Ex: Sociedade indígena.

A infraestrutura econômica determina as relações sociais,

Para Marx, há os velhos Hegelianos (Conservadores das ideias) e os jovens Hegelianos (São discípulos que fazem críticas), nos quais, está o jovem Feuerbach. Para Marx, tanto os velhos quanto os jovens Hegelianos partem da ideia de que a Superestrutura influencia a infraestrutura, os jovens apenas fazem críticas, mas não revolucionam. Marx, ao longo da Obra Ideologia Alemã, contesta e prova por qual razão a Infraestrutura influencia a superestrutura, ele vai desde o comunismo tribal até sua evolução histórica.

Teoria Das Classes: Para Marx, há apenas duas Classes. Burgueses; que detém os meios de produção, que se caracteriza pela propriedade dos meios de produção. E o Proletariado, os donos da força de trabalho, ou seja, os donos da força de trabalho. Para Marx também há o Lumpemproletariado, que são indivíduos que vivem à margem da relação capital de trabalho, ou seja, vivem por conta.

‘’a história da sociedade, sempre foi a história da luta de classes’’.

Classe em si: fluxos de indivíduos que compartilham as mesmas condições objetivas no que se refere à propriedade dos meios de produção. O proletários também são classes, mas não detém os meios de produção.

Classe para si: Grupos de indivíduos que se organizam politicamente de maneira consciente para a defesa dos seus interesses. Os proletários não são classes para si.

Teoria da mais valia:

TTSN- Tempo de trabalho socialmente necessário,

TTE- Tempo de trabalho excedente,

- Mais-valia absoluta: Jornada de trabalho,

-Mais-valia relativa inovação técnica.

Alienação: desprender-se, distanciar-se perda da essência humana.

ALIENAÇÃO-No ato da vinda da força de trabalho: O que diferencia o homem do animal é o trabalho. Alienação não pode ser confundido com irracionalidade. A alienação é o ter suprimindo o ser, alienação é quando eu vendo o que é meu para os outros, a minha força de trabalho não me pertence, e este é o primeiro ato da alienação.

-Durante o processo de trabalho: eu perco a consciência do ser, eu me ‘’coisifico’’, eu me torno um pedaço da máquina, eu me torno o apêndice da máquina. Ou seja, sou descartável. Para os donos do meio de produção é mais fácil trocar de trabalhador do que de máquinas.

-Em relação ao produto final: O produto não pertence ao operário, mas sim ao burguês.

Mudança social: o caráter efêmero (transitório) do capitalismo.

A alienação é parte de um movimento histórico, e ela só funciona no capitalismo, ao surgir o Socialismo isto se rompe.

Comunismo tribal: feudalismo-/ capitalismo- (Eu preciso viver e vendo o meu trabalho)/ socialismo-/ comunismo.

O Feudalismo durou doze séculos, o Capitalismo tem aproximadamente dois séculos, o que caracteriza o Capitalismo é que a propriedade dos meios de produção são privadas, o Socialismo é público. o Capitalismo é a tese, o socialismo é a antítese e o comunismo é a síntese. O capitalismo traz resquícios do Feudalismo e o Socialismo traz resquícios do Capitalismo.

Forças produtivas são: Meios de produção + Força de trabalho.

As relações de produção são de duas naturezas, por cooperação ou exploração.

Para Marx, quando ocorre um choque entre as forças produtivas novas com as antigas, se tem a mudança social. Dentro do feudalismo a burguesia revolucionou os meios de produção. Quando ela cria novos meios de produção, ela cria novos tipos de trabalhadores, que iriam precisar se adequar aos tipos de trabalhos. Após isto há um choque e um novo tipo de produção surge, daí surge o capitalismo. Para Marx, a burguesia é uma classe revolucionária, pois ela revoluciona os meios de produção. Com as evoluções tecnológicas cria-se um exército (industrial) de mão de obra reserva, pois as máquinas substituem os trabalhos humanos. ANARQUIA DE PRODUÇÃO é o processo que o capitalismo cria, com o avanço tecnológico e o desemprego, com isso não há consumo. O Marx acredita que o capitalismo cria sua própria negação, daí surge o socialismo, para ele o trabalhador fará uma revolução. O Socialismo é o resultado da tomada de consciência de classe do trabalhador. Quando surge o Socialismo os meios de produção irão pertencer ao Estado, que por sua vez, será devolvido aos trabalhadores, o Estado assume os meios de produção a propriedade privada passa a ser pública e pertencer a todos, mas não há liberdade.

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

O socialismo traz mais resquícios do feudalismo que o capitalismo — se é que dá para considerar algum resquício significativo neste. continuar lendo

Tudo isto já foi superado pelo Gramscismo que está em vigor no Brasil. continuar lendo

Mas como o “gramscismo” superaria o marxismo? Se Gramsci só propunha uma revisão em relação ao método (ou estratégia), e não sobre o conteúdo dogmático, fico curioso em saber como teria superado tudo isso. continuar lendo